RNA “emudeceu” por 15 minutos

248

Sábado, 24, entre as 8h30 e 9h00, aconteceu um facto incomum: as emissões dos canais da Rádio Nacional de Angola expedidas a partir da sede da estação, em Luanda, pararam cerca de um quarto de hora, constatou o Correio Angolense. 

A excepção foi a FM Stéreo, emitida fora dos estúdios centrais.

Rádio 5, Canal A, Rádio Luanda e Ngola Yetu viram as suas emissões interrompidas por aproximadamente 15 minutos. De acordo com a nossa fonte, o “emudecimento” aconteceu por causa da impossibilidade de acesso à sala de emissores, na sequência de uma desinfestação feita em todas as instalações da sede, à rua Comandante Gika.

“Como todos os negócios aqui na Rádio Nacional são feitos às escondidas, mandaram desinfestar a casa praticamente às escondidas, sem que as pessoas soubessem. Para evitar que o negócio foi cobiçado por outras pessoas, as pessoas ligadas ao presidente do Conselho de Administração e ele próprio entenderam manter sigilo sobre o assunto e mandaram desinfestar sem avisar a ninguém”, disse a nossa fonte antes de acrescentar que “o resultado está à vista porque este conselho de Administração não conhece a RNA”.

Esta é a segunda vez, na última década, que as emissões da RNA, a partir da sede,  não vão ao ar. A primeira vez aconteceu em Novembro de 2010, nos consulados de Pedro Cabral como PCA e Carolina Cerqueira como ministra da Comunicação Social. Então, a emissão parou por 10 minutos na sequência de um corte de electricidade por parte da EDEL e os geradores não tinham combustível para suprir a falha. Então, a falta de combustível deveu-se ao facto de a Sonangol ter deixado de vender o produto  à RNA à consignação