Atrás de tacho

419

Aparentemente, Israel Bonifácio, especialista em Relações Internacionais, não se conforma com o que muita gente agora designa novo paradigma.

O novo paradigma estabelece entre as suas prioridades o combate à corrupção, impunidade e…bajulação.

Quem acompanhou o desempenho de Israel Bonifácio na última Revista da Semana da Zimbo é forçado a agarrar-se a pelo menos duas hipóteses para tentar perceber o comportamento do jovem: ou ele é surdo e cego – e portanto não ouve nem lê os discursos do próprio Presidente João Lourenço – ou está desesperadamente atrás de um tacho. É razoável pensar que Israel Bonifácio tenha sido movido pela segunda hipótese.

Na verdade, na era de José Eduardo dos Santos, o sistema nunca virou as costas aos lambe-botas; pelo contrário, foi generoso com eles, nomeando-os para tachos em empresas públicas ou embaixadas.

Pelos vistos, o “nosso” especialista alimenta a esperança de que também ele pode trocar a sua dignidade com uma nomeação para uma carreira na diplomacia.

Não podem ser apenas a militância no MPLA ou a admiração pelas políticas do Presidente João Lourenço que explicam o comportamento do jovem no referido programa televisivo. Há outras razões por detrás daquele comportamento vergonhoso.