JBB vai aos tribunais para “lavar” a honra

290

O ministro da Energia e Águas vai recorrer aos tribunais para lavar a sua honra, que ultimamente vem sendo beliscada por alguns jornais de fim de semana.

Entre os jornais que mais ferem a honra e dignidade de João Baptista Borges incluem-se o semanário “A República”, uma publicação de pouca circulação.

Fonte do gabinete do ministro da Energia e Águas estabelece um vínculo entre essa campanha que fere a honra e dignidade de João Baptista Borges e o fim do contrato com que o MINEA mantinha com a empresa Aenergia. 

“Claro que essa campanha não nasce do nada. Está claramente relacionada com o fim do contrato que ligava o MINEA à Aenergia. Sabemos que a generalidade dos jornais de fim de semana vive momentos financeiros muito precários. Nessa situação, qualquer 100 dólares é capaz de fazer desencadear uma campanha contra figuras públicas”,disse ao Correio Angolense fonte do MINEA.

A furiosa campanha contra João Baptista Borges teve inicio desde que, em Agosto do presente ano, autorizado pelo Presidente da República, o ministro da Energia e Águas rescindiu o contrato com a  Aenergia por quebra de confiança irremediável.

A Aenergia é dirigida pelo cidadão português Duarte Ventura Leitão Machado e há evidências de que ela teria sido favorecida pelo anterior Presidente da República, o qual autorizou que uma insignificante empresa, desconhecida no mercado nacional assinasse com os ministérios da Energia e Águas e  com o Ministério dos Transportes dois acordos no valor de 2 biliões de dólares sem qualquer concurso prévio.

Leitão Machado, que agora se encontra refugiado no Dubai, chegou a Angola pela “mão” de Hugo Pêgo, antigo genro de José Eduardo dos Santos.

Os acordos que a Aenergia assinou com aqueles dois departamentos ministeriais tiveram claramente as “impressões digitais” de Tchizé dos Santos, filha do ex-Presidente da República.

Tanto o cidadão luso quanto Tchizé dos Santos andam foragidos do país.

A campanha contra o ministro é claramente financiada a partir do exterior, não se sabendo se por Leitão ou se por Tchizé dos Santos”,segundo contou ao CA fonte do MINEA. 

Com Tchizé e Leitão Machado foragidos, João Baptista Borges intentará acções judiciais contra os jornais que mancham a sua honra e dignidade.