De que são feitos alguns deputados?

349

Há pouco menos de duas semanas, alguns deputados da oposição não acompanharam o MPLA na aprovação da resolução proposta pela bancada desse partido para escorraçar definitivamente a insolente Tchizé dos Santos da Assembleia Nacional. André Sebastião, da Casa-CE, Raul Tati e David Mendes, ambos da UNITA, abstiveram-se, escudando-se nos mais diversos motivos.

Por exemplo, Alexandre Sebastião André não acompanhou o MPLA  alegando que os argumentos elencados pela Comissão de Ética e Decoro Parlamentar para sustentar a defenestração  da inconsolável filha de José  Eduardo dos Santos não tinham sido suficientemente convincentes. “Não sabemos quais foram as razões que estiveram na base da sua ausência e faltas permanentes na Assembleia Nacional”, disse.

Jurista e líder da bancada da CASA-CE, era é razoável esperar que  Sebastião André dominasse o regimento interno da Assembleia Nacional, o qual estabelece um número limite de faltas às plenária ultrapassado o qual o faltoso é expulso” da casa.

Alexandre S. André, um troca-tinta

Na terça-feira, 10, os deputados à Assembleia Nacional deram a machadada final a Tchizé dos Santos quando a substituíram, a título definitivo, pelo académico Paulo de Carvalho. Noticia o Novo Jornal que o relatório parecer da perde definitiva de  mandato foi aprovado por unanimidade pelos deputados de todos os partidos com assento parlamentar”.

Essa unanimidade significa duas coisas: a) o deputado João Pinto, do MPLA, não estava na sala quando se votou o relatório parecer; b) os deputados da oposição, que no dia 29 de Outubro se abstiveram quando o Parlamento se decidiu pelo afastamento de Tchizé mudaram de posição, o que faz deles pessoas pouco confiáveis, porque incoerentes. Como se pode confiar em troca-tintas?

Com a entrada de Paulo de Carvalho, o MPLA quintuplica ou sextuplica a sua superioridade sobre toda a oposição no que diz respeito à quantidade de académicos/intelectuais nas respectivas bancadas.

Mas com tanta quantidade de académicos não seria legítimo esperar da bancada parlamentar do MPLA melhor e maior produção intelectual? O desperdício é realmente impressionante.

Muitos  deputados que ostentam pesados títulos académicos entram calados e saem mudos das sessões parlamentares. 

Ai se a UNITA os tivesse nessas quantidades industriais…