Quê família é essa?

414

Em Dezembro de 2019, quando ainda se achava a “rainha da  cocada”,  ou seja, quando muito europeu rastejava aos seus pés, Isabel dos Santos disse ao Observador que Tchizé dos Santos,  Zenu,  Coreón Dú e outros eram apenas “meios irmãos”, com os quais “não tinha uma relação próxima”.

Agora que está a ver o diabo a assar sardinha, a antiga “Princesa” reclama que está a ser perseguida por ser negra africana.

Primeira questão: desde quando é que ela assumiu a sua africanidade?

Não  há dúvida: só o dinheiro de Angola mantinha uma unidade artificial entre os filhos do velho José

Segunda questão: os negros africanos não têm meios irmãos. Têm irmãos e ponto final. Em muitos casos, até o primo é irmão. Esse conceito de meio-irmão é lá dos europeus, de quem Isabel é mais próxima do que dos seus próprios irmãos.

Colocado perante a hecatombe que se abateu sobre Isabel, Coreón Dú deu o troco: ”não tenho qualquer interesse” em envolver-se em discussões sobre “a política de Angola ou qualquer forma de intriga política que envolva as suas (de Isabel) instituições ou figuras”.

Coitado do ex-PR: além da embrulhada em que se viu envolvido em virtude de ter transformado Angola num parque de diversão dos seus filhos, o velho vê a família a esfarelar-se completamente. E convém lembrar que ao velho já falta, faz algum tempo, uma cara-metade.

Não há dúvida que o velho está a levar uma vida de cão contra qual não tem a menor serventia os biliões que ele e os filhos,  pelo menos as duas moças, roubaram.