Juiz espanhol dá ganho de causa
à Ana Paula dos Santos

7788

Ana Paula dos Santos decidirá a sorte dos restos mortais de José Eduardo dos Santos.

O juiz espanhol que arbitra a disputa entre Ana Paula dos Santos e alguns dos filhos de José Eduardo dos Santos reconhece na antiga primeira dama de Angola a condição de viúva e atribuiu-lhe poderes para decidir a sorte dos restos mortais do antigo presidente angolano.

A decisão do juiz foi oficialmente comunicada aos advogados de Ana Paula na terça-feira, 16.

Mal soube da decisão, Tchizé dos Santos instruiu a sua advogada espanhola a interpor imediato recurso. Não é ainda claro a que instância será feito o recurso.

No inicio da semana passada, as autoridades angolanas, que tomaram abertamente partido de Ana Paula dos Santos, já pareciam ter indícios da decisão do juiz.

A 8 de Agosto, data em que se completaram trinta dias da morte de José Eduardo dos Santos, a Rádio Nacional de Angola e a Televisão Pública de Angola leram um editorial em que se insinuava que Isabel e Tchizé dos Santos teriam “sequestrado, aprisionado e congelado” o “cadáver de um Chefe de Estado”, num “caso certamente inédito no mundo”.

O editorial não explicou como a “insensatez e insensibilidade sem limites” de dois “dos muitos filhos” de José Eduardo dos Santos sequestraram um corpo que estava sob custódia judicial.

Domingo, 14, numa nota assinada por António Maria e publicada em várias plataformas digitais, nomeadamente O Termómetro do EME, que se presume associada ao MPLA, foi revelado que no dia 9 deste mês, “os advogados de Ana Paula dos Santos asseguraram-lhe de que existiria a previsão de o juiz do Tribunal de Catalunha proferir, a breve trecho, a sentença sobre a posse e trasladação dos restos do antigo Presidente da República.

Para todos os efeitos legais, o juiz considerou que Ana Paula continuou casada com JES até à morte do antigo Presidente

Segundo essa nota, postos a par da proximidade da decisão judicial, membros da delegação do Governo presentes em Barcelona “procederam a diligências junto de agências funerárias para se inteirar sobre os trâmites e aspectos técnicos de preparação do cadáver e respectiva estimativa de custo”.

A decisão do juiz espanhol de atribuir à Ana Paula dos Santos a tutela dos restos mortais do antigo Chefe de Estado estriba-se no recente memorando para a circulação internacional de documentos autenticados  que Angola e Espanha rubricaram.

Até à morte de José Eduardo dos Santos, Ana Paula era a sua esposa.

Embora não tivessem vivido sob o mesmo tecto nos últimos quatro anos, José Eduardo e Ana Paula dos Santos nunca dissolveram o casamento.

Se a justiça espanhola rejeitar o recurso que Tchizé dos Santos recomendou à sua advogada, os restos mortais de José Eduardo dos Santos chegarão ao país até ao dia 26 de Agosto, dois dias depois das eleições.

As autoridades angolanas não se comprometem com nenhuma data oficial para o funeral do antigo presidente por causa das imprevisíveis consequências das eleições.

A vitória de Ana Paula dos Santos põe fim a um embaraçoso braço-de-ferro que o Executivo e, nomeadamente o Presidente João Lourenço, travava com os primeiros filhos de José Eduardo dos Santos sobre a data do funeral do antigo presidente.

É improvável que Isabel, Tchizé e Coréon Du se desloquem a Luanda para assistir ao  funeral do pai.

Tecnicamente “preso”, Zenu dos Santos também não deverá juntar-se à cerimónia.