JL desperdiça oportunidade
de matar a cobra e mostrar o pau

4125

 

No princípio deste mês, exactamente às 5.07 do dia 9, Ismael Mateus, um “citoyen” muito cônscio das suas responsabilidade cívicas, na sua página do Facebook fez as seguintes perguntas: a) Afinal quem tem interesse num terceiro mandato do presidente João Lourenço?; b) Estando a aumentar as notícias, os comentários e suposições sobre um terceiro mandato quem tem interesse nesse debate?; c) E por que razão o MPLA é o próprio presidente nao põem fim (com um esclarecimento definitivo) nesse assunto?; d) Quem quer testar a opinião pública?; e) Então, ajudem-me a compreender: quem tem interesse nesse debate?

Na sexta-feira, 16, último dia da sua deslocação a Washington, a Voz da América proporcionou ao Presidente João Lourenço uma “soberana” oportunidade para esclarecer as perguntas que angustiam o nosso camarada Ismael.

Em linguagem terra-a-terra, dir-se-ia que a VOA deu a João Lourenço um bom pau para matar a cobra e exibir ambos, a cobra morta e o pau. Mas,  o quê fez o Presidente? Tergiversou e com isso deitou mais combustível à fogueira.

A VOA colocou a João Lourenço a seguinte questão:   

– Recentemente, o Sr. Presidente falou da possível revisão da Constituição. Posteriormente, tem havido notícias sobre o quê é que isso implica e o quê é que não implica. A pergunta que lhe faço é se está disposto a pôr de parte, a descartar uma mudança ao limite do mandato presidencial?

Podendo encurtar caminho, respondendo com sim ou não, o Presidente angolano embrenhou-se numa “terra batida” muito ambígua. A resposta dele está muito longe de ser esclarecedora.

Ei-la:

“Quando se fala da possibilidade – veja bem o que estou a dizer – da possibilidade, não necessidade, da possibilidade de qualquer revisão constitucional, não se está a falar necessariamente da possibilidade da alteração do número de mandatos que o Chefe de Estado em funções pode ou deve ter. Não se está necessariamente a falar disso. E a prova disso é que em 2021 fizemos uma revisão à nossa Constituição e naquela altura nunca ninguém falou nessa possibilidade, porque quando há uma revisão constitucional alguém tem que apresentar uma proposta em concreto e dizer o quê é que pretende que se mexa na Constituição. Então, se em 2021 não houve essa pretensão, por quê razão é que as pessoas hão de pensar que, no caso de voltar-se a mexer na Constituição, é porque existe a intenção de se alterar o número de mandatos do Presidente da República? Eu acho que isso é um falso problema. Nós nunca nos referimos a isso e sempre dissemos que a Constituição e a Lei são para ser cumpridas e portanto vamos cumprir”.

O Presidente contornou quer a pergunta do entrevistador como deixou Ismael Mateus sem respostas.

Quem tem os neurónios em pleno funcionamento que retire as suas conclusões…