Já estão desanuviadas as relações entre Ricardo D’Abreu, ministro dos Transportes, e Archer Mangueira, governador de Moçamedes.

Estabelecidas e regadas há muitos anos, as sólidas relações de amizade que unem os dois ficaram abaladas em Julho passado quando, numa reunião do Conselho de Ministro, Ricardo D’Abreu foi traído pela língua e dirigiu-se a Archer Mangueira em termos pouco urbanos.

Nessa reunião, presidida pelo Presidente João Lourenço, Ricardo e Archer, então ministro das Finanças desentenderam-se sobre matérias como a reestruturação da TAAG e sobre a tutela do Fundo Soberano de Angola e no calor da troca de argumentos o ministro dos Transportes usou um golpe pouco limpo para desmoralizar o outro.

Após esse incidente “politico-diplomático” as relações entre ambos esmoreceram um pouco, embora os dois continuassem a frequentar as casas de um e de outro por causa de fortes laços de amizade existente entre as duas famílias.

Felizmente está tudo acabado e os dois reataram as excelentes relações que sempre tiveram“, congratulou-se ao Correio Angolense um amigo “de ambos os dois”.

De acordo com essa fonte, quer Archer quanto Ricardo nunca fecharam a porta ao desanuviamento das relações.

Nós os amigos comuns sempre constatamos que os dois ansiavam pelo momento do pleno restabelecimento da boa relação”.

Jornalista há 40 anos, com passagem pelos principais meios de comunicação social públicos e privados. Na mídia pública regista passagens pela ANGOP, Jornal de Angola e Televisão Pública de Angola. Na imprensa privada tem profundas impressões digitais no Correio da Semana, Folha 8 (de que foi co-fundador e editor chefe), Angolense (co-fundador e editor chefe), Semanário Angolense (co-fundador e Director Geral) e, actualmente, no Correio Angolense. Como militar das antigas FAPLA registou passagens pelos jornais Njango Ya Sualaly (órgão da então Direcção Política Nacional) e Jornal Desportivo Militar (JDM).