Mário Palma pode estar de volta à selecção de basquetebol

577

O técnico Mário Leonel Faria Borges de Palma pode voltar a dirigir a Selecção Nacional de basquetebol, segundo disse ao Correio Angolense fonte geralmente bem informada.

 De acordo com a fonte, o treinador chega a Angola nos próximos dias para gozar férias e rever velhos amigos.

Sendo que Mário Palma tem frequentes encontros com “esses velhos amigos” em Portugal – mais raramente nos últimos anos por ter estado a treinar a seleção da Tunísia – e que Angola não é propriamente um destino turístico de referência, mesmo em África ou apenas entre os PALOP, para a nossa fonte é provável que a vinda próxima do conceituado treinador ao país seja muito mais que apenas um passeio.

Fazendo fé na nossa fonte, grande parte dos membros da comissão de gestão da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), dirigida por Gustavo Conceição, vê com bons olhos o regresso do técnico, que inclusive já foi abordado a propósito. O objectivo desse eventual regresso é recolocar a Selecção Nacional no topo do continente, uma vez que Mário Palma é um profundo conhecedor do basquetebol angolano e africano. Angola ganhou o seu último campeonato em 2013, na Costa do Marfim, depois de perder o de Madgáscar’2011. Na Tunísia’15 e no Senegal/Tunísia’17 Angola, que é 11 vezes campeã de África, não logrou reconquistar o valioso ceptro. 

Caso regresse, Mário Palma, que completa 70 anos de idade a 27 de Junho próximo, vai cumprir a sua terceira passagem pela Selecção Nacional, onde já esteve de 1979 a 1980 e de 1999 a 2005. Com Angola, conquistou os “Afrobaskets” de 1999, 2001, 2003, 2005, ao passo que com a Tunísia arrebatou o de 2017. Com o 1.º de Agosto ganhou a Taça dos Clubes Campeões Africanos de 2002 e de 2004.

Além do 1.º de Agosto, em Angola Mário Palma treinou o Benfica de Luanda e o Petro-Atlético de Luanda. Também foi seleccionador nacional de juniores com cuja equipa conquistou o “Africano” de 1980 realizado em Luanda. Em 1987 foi para Portugal, onde dirigiu as equipas do Sangalhos, Benfica de Lisboa, FC Porto Ovarense e Estrelas da Avenida. Regressou a Angola em 1998, ficando até 2005, para voltar em 2011, cumprindo apenas uma época no 1.º de Agosto. Foi também seleccionador da Jordânia (2007-2010) e de Portugal (2012-2014). Em 2006 treinou a formação espanhola do Palma Aqua Magica.

Internamente, foi campeão nacional com a equipas de juniores e de femininos do Petro-Atlético de Luanda, respectivamente em 1980 e 1981, e em seniores masculinos com o 1.º de Agosto ganhou os “Nacionais” de 2000, 2001, 2002, 2003, 2004 e 2005, assim como a Taça de Angola nas temporadas 2002, 2003 e 2005.