Vera Daves perde no braço-de-ferro

302

Na mais recente entrevista que concedeu ao semanário Expansão, a ministra das Finanças, Vera Daves, prometeu tudo fazer para impedir que o Estado assegure com garantias soberanas novos e futuros empréstimos.
‘O ano passado não demos nenhuma. Este ano vamos continuar a lutar para não dar”. Embora tenha admitido muita pressão, a ministra prometeu “resistir bravamente. Se tivermos de dar damos só essa e não mais”.
O Correio Angolense soube no final de semana que a “resistência” de Vera Daves quebrou face à pressão do seu homólogo dos Transportes, Ricardo D`Abreu.
De acordo com fontes confiáveis deste portal, o ministro dos Transportes obterá do Ministério das Finanças a garantia soberana de 300 milhões de dólares necessários para a operação de reestruturação da TAAG, que contempla a aquisição de seis aeronaves da fabricante canadense Bombardier.
“O Presidente João Lourenço estudou minuciosamente o caso e ordenou a emissão de uma garantia soberana. A operação não foi executada ainda porque não há dinheiro para sustentar essa garantia”.
A aquisição de novas aeronaves para a TAAG já opôs, num passado recente, Ricardo D’Abreu ao anterior ministro das Finanças. O ministro dos Transportes sempre defendeu que a transportadora aérea nacional deveria adquirir novos meios aéreos de imediato, ao passo que Archer Mangueira defendia que a recapitalização da empresa deveria ser precedida de uma profunda reestruturação que a depurasse de todos os factores tóxicos, nomeadamente o excesso de força de trabalho.