Na quinta-feira, 18, a Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal da Procuradoria-Geral da República começou o ouvir em auto de declaração antigos responsáveis da Sonangol em sede do Processo-crime 48/19, que tramita em segredo de justiça.

Em carta que lhe dirigiu nos primeiros dias deste mês, a DNIAP solicitou a Sebastião Pai Querido, presidente do Conselho de Administração da Sonangol, diligências para a localização dos antigos responsáveis da Sonair, MS Telecom Mercury, Academia Sonangol SA.

Terça-feira, deverão ser ouvidos os antigos responsáveis do Instituto Superior Politécnico de Tecnologia e Ciências, do Centro de Formação Marítima de Angola, Sonangol Investimentos e Participações AS, Pessoas, Desenvolvimento e Associados SA, Sonangol Investimentos Industriais Limitada e West Africa Management Service.

Os indivíduos que são ouvidos em auto de declarações dirigiram as mencionadas subsidiárias da Sonangol entre 2016 e 2017.

Os auto de declarações são conduzidos por Petra Romana Timóteo Correia e José Manuel Soares Vicente, ambos Magistrados do Ministério Público.