A última edição do semanário Valor Económico reitera que o “core business” (negócio principal) da ANSEBA é “o comércio geral e a retalho de materiais de construção e indústria transformadora”.

Fundada há 10 anos, com capital social de 200 mil kwanzas, a ANSEBA já alterou o pacto social por duas vezes. “A primeira foi em 2016, tendo colocado na estrutura accionista João Tristeza Gaspar Fernandes, Arnito José Agostinho e Ives Fernandes”. Dois anos depois, em 2018, os três Fernandes foram retirados da estrutura accionista. 

Nomeado a 17 de Março de 2020, o actual ministro do Comércio e Indústria é Fernandes de sobrenome. 

O IGAPE (Instituto de Activos e Participações do Estado) atribuiu à ANSEBA a gestão do Kero, uma das principais redes nacionais de distribuição alimentar do país.

Preterida no “concurso”, a dupla Carrefour e Alimenta Angola já anunciaram que vão contestar o resultado, para o que alegam, como fundamento principal, que a ANSEBA não tem qualquer know-how na gestão de supermercados.

O próprio IGAPE, que anunciou precipitadamente o vencedor do “concurso” agora admite que o processo ainda não está fechado.