O Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, ficou sem energia eléctrica por mais de duas horas na noite de quinta-feira, 28, no período entre as 19h00 e as 21h15, segundo disseram ao Correio Angolense testemunhas oculares.

O “apagão” aconteceu numa altura em que se procedia a formalidades migratórias e de manuseamento de bagagem de passageiros vindos de Cape Town e Joanesburgo, África do Sul, surpreendidos no local pelo corte abrupto de energia. Os viajantes chegados de Lisboa vivenciaram igualmente as peripécias da situação que abrangeu todo o aeroporto e áreas circundantes. 

Do mesmo modo, no embarque, tudo ficou parado, tanto nos balcões de check-in como nos restantes serviços. No total ,cinco voos internacionais, dois dos quais para Lisboa, foram afectados. Os outros destinos eram Paris, Doha e Frankfurt.

O grupo gerador que abastece o aeroporto não correspondeu às insistentes tentativas de ligação. Um engenheiro mecatrónico disse ao Correio Angolense ser muito provável ter havido problemas de manutenção. “Em condições normais um gerador com combustível e assistência técnica em dia não deixa de funcionar, como aconteceu com o do aeroporto 4 de Fevereiro. A razão mais plausível é falta ou deficiente manutenção”, conjecturou.

Em ambos os terminais (embarque e desembarque), pouco mais de mil pessoas ficaram às escuras no meio de sufocante calor, o que levou a que lançassem imprecações de todos os tipos e em vários idiomas.