Vitória “agostina” na 11.ª final angolana na Taça dos Campeões Africanos de andebol

3510


A equipa do 1.º de Agosto conquistou este domingo, 9, no pavilhão em Hammamet, (Tunísia), a 43.ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos de andebol, na classe feminina, ao bater o Petro-Atlético de Luanda por 29-24, na que foi a 11.ª final integralmente angolana na prova. A formação “rubro-negra”, que ao intervalo vencia por 14-13, soma assim o seu sétimo título nesta competição, ao passo que a “tricolor” ostenta 19.

Para chegar à final, o 1.º de Agosto superou na meia-final o DGSP do Congo Brazzaville por 37-25, enquanto nessa fase da competição o Petro-Atlético de Luanda fez o mesmo diante do CS Mocknine, da Tunísia, por 29-21. Antes, nos quartos de final, as “militares” venceram o El Biar, da Argélia, por 27-17 e as “petrolíferas” triunfaram frente ao TKC de Yaoundé, dos Camarões, por 31-15.

No Grupo A, a turma do “Eixo Viário” ganhou sucessivamente ao El Biar (27-18), US Guiné (32-15), Flower do Benin (33-18), Habitat da Costa do Marfim (34-17) e ao FAP dos Camarões (33-20). Já no B, as do “Rio Seco” passearam diante do CF Boumerdes da Argélia (26-15), Mocknine (36-21), TKC (36-20) e do DGSP (29-19).

A edição terminada este domingo é a 26.ª consecutiva com pelo menos um clube angolano no pódio, algo que acontece desde 1993, quando o Petro-Atlético de Luanda conquistou pela primeira vez o mais importante título continental de clubes, iniciando assim um domínio imperial obliterado apenas duas décadas depois pelo 1.º de Agosto, cujo título inaugural aconteceu em 2014. Globalmente, são 28 pódios.  

O primeiro título do andebol angolano na prova teve a assinatura do Clube Ferroviário de Angola [então designado Ferroportuária, em virtude de uma fusão oficiosa com o GD do Porto de Luanda], em 1987, em Owerri (Nigéria). Depois dessa inesperada epopeia, só em 1990 não houve nenhuma equipa angolana no pódio. Mais: desde 1997 nenhum outro país logrou vencer a Taça dos Clubes Campeões Africanos de andebol feminino, o que perfaz 23 títulos consecutivos, de um total de 26. Este domínio conta com 17 títulos seguidos do Petro-Atlético de Luanda, de 1997 a 2013 – além de dois intercalados em 1993 e 1995 – e sete do 1.º de Agosto, de 2014 a 2022. As edições de 2020 e 2021 não foram disputadas, devido à Pandemia da COVID’19, primeiro, e à falta de candidatura para acolher a competição, depois.Nota a reter é que das três vezes em que o país participou com três emblemas, em 2013 e 2014 o pódio foi totalmente angolano, com o Progresso do Sambizanga a “escoltar” Petro-Atlético de Luanda e 1.º de Agosto, respectivamente – só em 2000 não conseguiu esse feito.